Ponto de Tranca-Ruas

Ponto de Tranca-Ruas

O Sino da Igrejinha

Ponto de Tranca-Ruas

O SINO DA IGREJINHA
FAZ BELÉM, BLÉM, BLOM [2X]

DEU MEIA-NOITE O GALO JÁ CANTOU
SEU TRANCA-RUAS QUE É DONO DA GIRA
OH CORRE GIRA
QUE OGUM MANDOU [2X]

Ponto de Tranca-Ruas

Ponto de Tranca-Ruas

Tranca Ruas, ou Tranca Rua, é uma falange de exus, entidades espirituais presentes na Umbanda[1] e Quimbanda. É considerado   responsável, portanto pela limpeza astral dos caminhos do mundo.[carece de fontes]

 

Exu Tranca-Ruas.

Primeiramente suas cores são brancopreto e vermelho, por isso geralmente é representado com um tridente, devido a isso que ao longo do tempo o fez com que fosse associado, por membros de religiões de matriz cristãs a uma figura maligna, entretanto, Exu está ganhando seu devido respeito, devido a sua história está sendo contada sem os preconceitos impostos.[2].[2]

Ponto de Tranca-Ruas

Ponto cantado é uma pequena cantiga usada em eventos culturais, notadamente o jongo, e religiosos, notadamente na Umbanda.[1]

No Jongo

Os pontos podem ser de diversos tipos:

  • abertura ou licença – para iniciar a roda de jongo
  • louvação – para saudar o local, o dono da casa ou um antepassado jongueiro
  • visaria – para alegrar a roda e divertir a comunidade
  • demanda, porfia ou “gurumenta” – para a briga, quando um jongueiro desafia seu rival a demonstrar sua sabedoria
  • encante – era cantado quando um jongueiro desejava enfeitiçar o outro pelo ponto
  • encerramento ou despedida – cantado ao amanhecer para saudar a chegada do dia e encerrar a festa

Na Umbanda

Na Umbanda, os pontos são usados para louvar e invocar as falanges espirituais.[1]

Os pontos podem ser classificados em diversos tipos, tais como:

  • Pontos de abertura e fechamento de trabalhos
  •  de chegada e de despedida; cantados para incorporações e desincorporações
  •  de defumação; cantados durante a defumação do terreiro e médiuns
  •  contra demanda; cantados durante a gira, quando necessário, contra demandas
  •  de descarrego; cantados para descarrego dos médiuns e do ambiente
  •  de doutrinação; cantados para encaminhar um espírito sofredor ou kiumba.
  •  de firmeza; cantados para fortalecer e manter a boa energia durante os trabalhos
  •  de homenagem; cantados para homenagear Orixás, guias e entidades.

Pontos de Umbanda já foram gravados por cantores como Germano Mathias[2] e Carlinhos Brown[3] em diversos locais do Rio de Janeiro, entretanto existem concursos e festivais de pontos de Umbanda.[4]

Referências

  1. ↑ Ir para:a b Centro Espírita Urubatan. «Pontos Cantados». Consultado em 14 de outubro de 2018
  2.  Ana Ferraz (4 de outubro de 2015). «A categoria do último dos malandros». Consultado em 14 de outubro de 2018
  3.  Roberto Midlej (1 de março de 2017). «No Arrastão, Brown pede fim de rusgas entre Bell Marques e irmãos». Consultado em 14 de outubro de 2018
  4.  Geraldo Ribeiro (11 de junho de 2018). «Rio tem circuito pouco conhecido de cantigas de umbanda e maior encontro de curimbas do Brasil». Consultado em 14 de outubro de 2018

Bibliografia

BARBOSA, Ademir, Curso Essencial de Umbanda. 1 ed. São Paulo: Editora Universo de Livros , 2011

Ecobag Sino da Igrejinha
Ecobag Sino da Igrejinha
Fogo no Mato
Flecha no tempo
Flecha no Tempo

Ponto de Tranca-Ruas

Get Free Email Updates!

Signup now and receive an email once I publish new content.

Eu nunca vou doar, trocar ou vender seu endereço de e-mail. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.